World Surf League Championship Tour 2024 começa no dia 29 deste mês no Havaí

  • Prazo do Lexus Pipe Pro vai até 10 de fevereiro
  • Seleção brasileira terá dez surfistas em Pipeline 
  • Depois, Luana Silva vai substituir Carissa Moore
  • Vivo Rio Pro será a penúltima etapa da temporada

A temporada 2024 do World Surf League Championship Tour começa no dia 29 de janeiro, com o Lexus Pipe Pro apresentado por YETIabrindo o show dos melhores surfistas do mundo nos tubos de Banzai Pipeline, na ilha de Oahu, Havaí. Serão 9 etapas para definir os top-5 dos rankings masculino e feminino, que irão disputar os títulos mundiais no WSL Finals. O Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema, será a penúltima do ano e a última antes da pausa para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 nos tubos de Teahupo´o, no Tahiti.

A seleção brasileira da WSL terá 10 surfistas no Lexus Pipe Pro apresentado por YETI e 11 no restante da temporada, com Luana Silva reforçando o time feminino com Tatiana Weston-WebbLuana entrará no lugar da havaiana Carissa Moore, que vai se retirar do CT após defender seu título em Pipeline. Entre os homens, o Brasil continua sendo maioria entre os top-34, com 9 surfistas, os campeões mundiais Filipe ToledoGabriel MedinaItalo Ferreira e João ChiancaYago DoraCaio Ibelli, os irmãos Miguel e Samuel Pupo e Deivid Silva

As cinco primeiras etapas do World Surf League Championship Tour 2024, serão disputadas por 36 competidores na categoria masculina e 18 na feminina, os top-34 e as top-17 com 2 homens e 1 mulher entrando como convidados (wildcards) da WSL. Após a quinta etapa em Margaret River, na Austrália, a quantidade de participantes cairá para 24 na competição masculina e 12 na feminina. Continuarão disputando vagas para o WSL Finals, os 22 primeiros colocados do ranking masculino e as 10 melhores do feminino.

WORLD SURF LEAGUE CHAMPIONSHIP TOUR 2024:
1.a: Jan 29-10 Fev: Lexus Pipe Pro apresentado por YETI em Pipeline, Havaí
2.a: Fev 12-22: Hurley Pro Sunset Beach em Sunset Beach, Havaí
3.a: Mar 06-16: MEO Rip Curl Pro Portugal apresentado por Corona em Peniche
4.a: Mar 26-05 Abr: Rip Curl Pro Bells Beach apresentado por Bonsoy na Austrália
5.a: Abr 11-21: Western Australia Margaret River Pro na Austrália
——corte no meio da temporada de 36 para 24 homens e 18 para 12 mulheres
6.a: Mai 22-31: SHISEIDO Tahiti Pro em Teahupo´o no Tahiti
7.a: Jun 06-15: Surf City El Salvador Pro apresentado por Corona em Punta Roca
8.a: Jun 22-30: Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema, Rio de Janeiro
——Jogos Olímpicos de Paris com o surfe de 27 de julho e 5 de agosto
9.a: Ago 20-29: Corona Fiji Pro em Cloudbreak, nas Ilhas Fiji
——Top-5 dos rankings masculino e feminino disputarão os títulos mundiais
Set 06-14: WSL Finals em Lower Trestles, San Clemente, Califórnia, EUA

DÉCADA BRASILEIRA – Será uma temporada especial pela segunda participação do surfe nas Olimpíadas e, também, por completar 10 anos do primeiro título mundial do Brasil, conquistado por Gabriel Medina em 2014. É uma década de domínio do surfe brasileiro no cenário internacional do esporte, com 7 títulos mundiais conquistados nas últimas 9 edições, pois em 2020 o CT não aconteceu por causa da pandemia. Depois de MedinaAdriano de Souza já garantiu um bicampeonato do Brasil em 2015, coroado com o troféu de Pipe Masters na final verde-amarela entre eles no maior palco do esporte.

A hegemonia brasileira só foi interrompida pelo havaiano John John Florence, que conseguiu o bicampeonato em 2016 e 2017. Depois, só deu Brasil. Gabriel Medina também foi bicampeão em 2018, Italo Ferreira ganhou o título de 2019 disputado em outra final brasileira nos tubos de Pipeline com Medina, que confirmou o tricampeonato em 2021. Já Filipe Toledo se tornou o primeiro brasileiro a ser bicampeão consecutivo, em 2022 e 2023. Ainda teve Italo Ferreira entrando na história, com a primeira medalha de ouro do surfe nas Olimpíadas de Tóquio 2022

HISTÓRIA EM PIPELINE – Italo foi o último brasileiro a vencer o desafio nos tubos de Banzai Pipeline, que é palco de etapas válidas pelo título mundial desde o primeiro circuito em 1976. Nesse primeiro ano, o carioca Pepê Lopes(in memoriam) já colocou o Brasil na final, ficando em sexto lugar na vitória havaiana de Rory Russell. Depois, passaram-se 20 anos para o Brasil aparecer nas semifinais, com Guilherme Herdy em 1996 e Renan Rocha no ano 2000. 

Até surgir Gabriel Medina, que chegou na final 5 vezes nas 9 últimas edições. A primeira foi em 2014, quando já tinha festejado o primeiro título mundial do Brasil e perdeu a decisão para o australiano Julian Wilson. Em 2015, foi vice-campeão de novo contra Adriano de Souza, mas se tornou o primeiro brasileiro a vencer a Tríplice Coroa Havaiana. O título de Pipe Masters veio em 2018, coroando o bicampeonato mundial sobre o mesmo Julian Wilson. Em 2019, perdeu a decisão do título mundial para Italo Ferreirae em 2020 foi vice na final com John John Florence.

JOGOS OLÍMPICOS – Italo Ferreira e Gabriel Medina estarão tentando uma inédita segunda vitória brasileira em Pipeline no Lexus Pipe Pro apresentado por YETI. Os dois participaram da estreia do surfe nas Olimpíadas do Japão, mas não conseguiram se classificar para os Jogos de Paris 2024. Os representantes do Brasil que confirmaram seus nomes entre os 18 indicados (10 homens e 8 mulheres) pelo World Surf League Championship Tour 2023, foram Filipe ToledoJoão Chianca e Tatiana Weston-Webb. As medalhas do surfe serão disputadas nos perigosos tubos de Teahupo´o, Tahiti, entre os dias 27 de julho e 5 de agosto.

Até as Olímpiadas, toda concentração estará na primeira metade da temporada, para tentar escapar do corte e já garantir vaga na elite do CT 2025. Serão duas etapas no Havaí, uma em Portugal e duas na Austrália, para definir os 22 homens e 10 mulheres que permanecerão no grupo dos melhores surfistas do mundo e seguirão disputando classificação para a decisão dos títulos no WSL Finals 2024. As novidades na seleção brasileira da WSL serão o retorno de Deivid Silva e de Luana Silva, substituindo Carissa Moore após Pipeline. 

TRANSMISSÃO AO VIVO – O Lexus Pipe Pro apresentado por YETI abre a temporada 2024 do World Surf League Championship Tour no dia 29 de fevereiro, com prazo até 10 de fevereiro para ser encerrado em Banzai Pipeline. O campeonato será transmitido ao vivo pelo Sportv Globoplay e também pelo WorldSurfLeague.com e pelo Aplicativo e Canal da WSL no YouTube.  

ELITE DO WORLD SURF LEAGUE CHAMPIONSHIP TOUR 2024:

TOP-34 DA CATEGORIA MASCULINA:
——22 mantidos pelo CT 2023
1.o: Filipe Toledo (BRA)
2.o: Ethan Ewing (AUS)
3.o: Griffin Colapinto (EUA)
4.o: João Chianca (BRA)
5.o: Jack Robinson (AUS)
6.o: Gabriel Medina (BRA)
7.o: Yago Dora (BRA)
8.o: John John Florence (HAV)
9.o: Leonardo Fioravanti (ITA)
10: Ryan Callinan (AUS)
11: Connor O´Leary (AUS)
12: Barron Mamiya (HAV)
13: Italo Ferreira (BRA)
14: Kanoa Igarashi (JPN)
15: Ian Gentil (HAV)
16: Jordy Smith (AFR)
17: Liam O´Brien (AUS)
18: Caio Ibelli (BRA)
19: Matthew McGillivray (AFR)
20: Callum Robson (AUS)
21: Rio Waida (IDN)
22: Seth Moniz (HAV)
——2 convidados pela WSL
23: Kelly Slater (EUA)
24: Miguel Pupo (BRA)
——10 classificados pelo Challenger Series
25: Cole Houshmand (EUA)
26: Samuel Pupo (BRA)
27: Jacob Willcox (AUS)
28: Crosby Colapinto (EUA)
29: Eli Hanneman (HAV)
30: Frederico Morais (PRT)
31: Imaikalani deVault (HAV)
32: Jake Marshall (EUA)
33: Kade Matson (EUA)
34: Deivid Silva (BRA)
——substituto da temporada
Ramzi Boukhiam (MAR)

TOP-17 DA CATEGORIA FEMININA:
——10 mantidas pelo CT 2023
1.a: Caroline Marks (EUA)
2.a: Carissa Moore (HAV)
3.a: Tyler Wright (AUS)
4.a: Caitlin Simmers (EUA)
5.a: Molly Picklum (AUS)
6.a: Stephanie Gilmore (AUS)
7.a: Lakey Peterson (EUA)
8.a: Tatiana Weston-Webb (BRA)
9.a: Gabriela Bryan (HAV)
10: Bettylou Sakura Johnson (HAV)
——2 convidadas pela WSL
11: Johanne Defay (FRA)
12: Brisa Hennessy (CRC)
——5 classificadas pelo Challenger Series
13: India Robinson (AUS)
14: Sally Fitzgibbons (AUS)
15: Sawyer Lindblad (EUA)
16: Alyssa Spencer (EUA)
17: Isabella Nichols (AUS)
——substituta da temporada
Luana Silva (BRA).

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões