Kelly Slater compara pandemia do coronavírus ao surfe: “Temos que aprender a enfrentar o medo”

Um dos esportes mais radicais do planeta, o surfe pode trazer lições no combate ao coronavírus, na visão de Kelly Slater. Em participação ao vivo no Vencendo Juntos, o 11 vezes campeão mundial citou o medo das ondas que todo surfista tem de enfrentar como indicador do que está por vir neste momento difícil da humanidade. Até o final da noite, tinham sido arrecadados R$ 2.917.765,92 – a meta para a campanha, que continua, é de R$ 10 milhões.

De passagem pela Austrália para visitar um amigo que está doente, Kelly entrou ao vivo no Vencendo Juntos para bater um papo com os apresentadores Carol Barcellos e Flávio Canto, além de Bob Burnquist, que também participou do programa de forma remota 

– Enfrentar o medo dessa pandemia é uma coisa assustadora, mas temos que aprender a enfrentá-los. É mais ou menos como o surfe. Nós desafiamos o medo todo dia, estudamos o mar e as ondas e só depois nos arriscamos – destacou o americano.

Com as competições de surfe paradas, Kelly tem mantido a forma neste período na Austrália. Como as medidas restritivas na Oceania já não estão tão fortes, ele tem conseguido surfar normalmente. 

– Aqui não estamos em uma situação de lockdown tão forte, então está dando para surfar, mas eu espero voltar para a Califórnia em breve – contou Kelly, que elegeu o brasileiro Italo Ferreira como o melhor surfista do mundo na atualidade.

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões