Tops do Brasil falam da expectativa para a Olimpíada de Tóquio

O discurso está alinhado e as vagas olímpicas se tornam, cada vez, mais prioridade para os atletas da elite mundial do surf, modalidade que fará sua estreia nos Jogos de Tóquio 2020. Para os principais surfistas a classificação será pelo ranking do CT da WSL.

Os principais brazucas são: Italo Ferreira, Filipe Toledo, Gabriel Medina, Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima.

Filipe Toledo: “Chegamos num patamar muito alto do surf e essa estreia nos Jogos Olímpicos é algo que ainda vamos digerir. Sabemos que vai ser muito bom para o esporte, para os atletas, para a próxima geração. A ficha só vai cair quando estivermos lá. É algo que não estamos acostumados. Junto com o título mundial, o objetivo é classificar para a Olimpíada”.

Gabriel Medina: “Esse ano é muito importante, para mim um pouco mais, porque estou defendendo o título mundial, e claro que todos estão focados nessas vagas. Vai ser uma temporada longa, intensa, mas acho que todo mundo quer e vai brigar para estar na Olimpíada. Espero participar e agora é trabalhar, focar etapa por etapa, em busca desse título. Sempre vai existir pressão, sempre vão nos cobrar e você acaba se acostumando”.

Italo Ferreira: “É um evento único que o Mundo vai parar para assistir. Todos estão em busca da medalha de ouro, a mais cobiçada. Os atletas treinam durante quatro anos para ganhar. É o maior evento esportivo que um atleta pode competir”, elogiou Italo, atual terceiro colocado no CT, sabendo o que fazer para se manter entre os classificados: ”Dedicação e esforço máximo”.

Tatiana Weston-Webb: “Para mim, sempre foi um sonho participar de uma olimpíada e agora temos essa chance. É uma honra e se eu e a a Sil (Silvana) conseguirmos será um sonho realizado.

Silvana Lima: “Realmente é um sonho para qualquer atleta estar na Olimpíada, porque é um evento a cada quatro anos, de muita luta para estar lá, e dessa vez teremos o nosso esporte lá dentro. É um grande passo e acredito que o surf vai ocupar seu espaço e vai ficar para sempre. A briga vai ser grande esse ano, mas se Deus quiser, o Brasil vai ter o time completo em Tóquio. Sei que se me classificar para o CT de 2020 também estarei garantida na Olimpíada então esse é meu foco”.

PAN – Antes da estreia do surf na Olimpíada, a modalidade terá suas disputas nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, com o time tendo o suporte da Confederação Brasileira de Surf e do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Junto com o surf, estarão em ação o longboard (pranchões) e o Stand Up Paddle, o SUP, tanto Race quanto Wave. O Time Brasil será composto por Robson Santos e Karol Ribeiro, no surf;  Wenderson Biludo e Chloé Calmon, no longboard; Luiz Diniz e Nicole Pacelli, SUP wave; Lena Ribeiro e Vinnicius Martins, no SUP race.

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões