WSL reestrutura o mundial de longboard

A WSL iniciará uma nova fase do Longboard Championship Tour. Ele foi reestruturado para os surfistas terem mais eventos para competir, proporcionando assim uma visibilidade maior para que recebam mais apoio através de patrocínios. Os eventos serão direcionados para a base de fãs do Longboard, que não tinham muitas oportunidades de prestigiar o estilo mais clássico do surfe.

A nova estrutura do Longboard Tour:

– Os eventos já existentes do LQS continuarão determinando os campeões regionais e podem, ainda, ajudar os surfistas a melhorar o seeding nos eventos do Longboard Championship Tour. A premiação nos eventos regionais seguirá sendo determinada pelos escritórios regionais.

– No World Longboard Championship Tour (WLC), um novo status de evento será inaugurado no Noosa Longboard Open, de 7 a 11 de março. Esses eventos distribuirão pontuação no ranking do World Longboard Championship, mas o seu formato será aberto para 40 a 72 surfistas. Como é um formato novo, será difícil prever a quantidade de inscritos em um primeiro momento.

– Os eventos vão ter um formato similar aos do QS: baterias com quatro surfistas até as quartas de final e janelas de espera pelas melhores ondas. Eles valerão 6.000 pontos no ranking do World Longboard Championship e distribuirão US$ 30 mil na categoria Masculina e US$ 30 mil na Feminina.

– O formato será similar ao QS 6.000 com os surfistas mais bem ranqueados após Taiwan, entrando nas fases mais avançadas da competição. Os top 8 da categoria masculina e feminina serão os cabeças de chave da Rodada de 24 surfistas e os colocados entre top 9 até 16 entram na segunda rodada de pré-classificados, junto com os campeões regionais dos escritórios que realizam eventos LQS.

– O restante das vagas será preenchido por qualquer surfista interessado em participar. Será uma oportunidade única para muitos longboarders desconhecidos que nunca competiram em um evento da WSL.

– A premiação nas etapas do WLC 6000 será a mesma para homens e para mulheres. O vencedor e a vencedora receberão US$ 5 mil, com os vice-campeões ganhando US$ 2,5 mil. Também terão direito a premiação em dinheiro os que perderem nas semifinais em terceiro lugar, os quintos colocados nas quartas de final e os eliminados na fase anterior na nona e 17ª posições.

– A tentativa é realizar dois a três eventos do World Longboard Championship em 2019, além da última etapa em Taiwan, que vai fechar a temporada com premiação de US$ 60 mil para os homens e também para as mulheres no único evento valendo 10.000 pontos no ranking mundial.

– O número de participantes na decisão dos títulos mundiais do World Longboard Championship será de apenas 24 homens e 24 mulheres, os top-8 do ano anterior (2018), os top 12 do ranking atual (2019) e quatro convidados (wildcards).

– Após os dois ou três eventos do WLC 6000 que a WSL pretende realizar em 2019, a grande final em Taiwan que terá uma janela de espera maior, mais premiação para os atletas e, sendo o evento que valerá mais pontos no ranking, definirá os campeões mundiais da categoria.

Fonte: João Carvalho

Foto: WSL / Tim Hain

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões