Novo episódio da Série “Sound Waves” da WSL conta a história de Filipe Toledo com a família e nas competições

World Surf League (WSL) reforça o seu propósito de levar informações e entretenimento aos fãs do surfe em todo o mundo com um novo episódio da série “Sound Waves”, agora estrelado pelo surfista brasileiro Filipe Toledo, o Filipinho, 4º no ranking mundial. Produzida pelo WSL Studios e com o patrocínio da Jeep, a série tem mostrado a vida pessoal e as preparações de atletas do esporte para as competições. 

E nesse novo episódio não é diferente. Filipinho, a esposa Ananda e os filhos Mahina e Koa, além dos pais do atleta, Ricardo e Mari Toledo, aparecem em cenas mostrando momentos íntimos em família, imagens de algumas conquistas históricas na carreira recente do atleta, preparação para os desafios que irá enfrentar nos próximos meses e até um período difícil que o atleta passou, em 2019, mas conseguiu superar com muita determinação. 

Da casa da família em San Clemente, na Califórnia (EUA), às competições em que o atleta da elite do surfe mundial tem participado, o episódio mescla os momentos de ternura da vida familiar com cenas de pura adrenalina de Filipinho durante grandes disputas. Os destaques são suas performances no Quiksilver Pro Gold Coast, na Austrália, em 2015; a vibração e alegria quando sagrou-se campeão na etapa Oi Rio Pro, em Saquarema, Rio de Janeiro, em 2019; e a vitória no Rumble at The Ranch, nas ondas perfeitas de Surf Ranch, em Lemoore (Califórnia), quando marcou o retorno do surfe competitivo, após seis meses, em agosto de 2020.

O episódio está na plataforma da WSL na internet: https://bityli.com/hkVwI

Surfe no DNA – Natural de Ubatuba, no litoral paulista, Filipe Toledo carrega o surfe no DNA, uma vez que seu pai (Ricardo) já foi bicampeão brasileiro. Estreou no CT (Championship Tour) em 2013 e, desde então, vem mostrando sua evolução como atleta e conquistando vitórias importantes, em um total de oito em sua carreira. A paixão pelo esporte é tamanha que, em 2014, quando sua carreira decolou, convenceu toda a família a se mudar para Califórnia para melhor se dedicar aos treinamentos focados no Circuito Mundial. O atleta integra a elite do surfe mundial e, no ano passado, ficou em 4º no ranking, atrás apenas dos brasileiros Ítalo Ferreira (1º) e Gabriel Medina (2º) e do sul-africano Jordy Smith (3º).

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões