Krystian Kymerson fala sobre as expectativas para 2020

Pensando nesse período sem eventos, nós do Tudo pelo Surf, convidamos alguns surfistas para uma bate-papo. O convidado @krystiankymerson falou um pouco sobre sua carreira e expectativas para o ano de 2020. Confiram:

  1. Seu inicio no mundo do surf?

“Eu comecei a surfar com 3 anos de idade aqui no Barrão. Meu grande incentivo no início foi meu pai Nenzinho que era surfista e sempre ganhava tudo aqui nas competições capixaba. Ele trabalhava numa fabrica e descascava suas pranchas para fazer meus equipamentos. 

Eu encarava as condições extremas aqui do Barrão junto com meu pai bem pequeno e sempre que tinha competições aqui na região ele fazia de tudo e se esforçava para arrumar dinheiro para me levar nos eventos. Meu pai sempre foi um GUERREIRO”. 

2. Como está sendo esse período sem competições? 

“Estou treinando em casa meu preparador físico me passou alguma atividades para fazer durante esse período de quarentena. Só estou esperando para voltar as competições o mais breve possível e aproveitando para ficar um pouco com a minha família”. 

3. Você chegou a participar da sua primeira etapa na elite como foi essa experiência? E qual repercussão ?

“Muita gente me pergunta sobre essa participação no Oi Rio Pro. Foi uma experiência única competindo junto com os 32 melhores do mundo e ainda surfar em casa junto com aquela torcida incrível. Lógico que quero competir o circuito todo, mas valeu a pena”.

4. Como você vê esse seu início de temporada no QS?

“Esse começo de ano na Austrália foi uma experiência boa apesar de não ter feito bons resultados, mas contínuo focado e vou levar as coisas que errei para esses próximos eventos em buscando do meu sonho que é a vaga na elite”.

5. Você criou um campeonato de surf conta um pouco sobre esse trabalho que está fazendo? E seu sonho como esse Tour? 

“O KK on Tour no começo a gente realizava como forma de juntar um dinheiro para me ajudar nas viagens do QS no começo do ano pra Austrália. Entretanto, esse que eu fiz agora no começo de 2020 foi um dos melhores que eu já realizei com uma estrutura irada. Agora, eu com a minha empresária quero realizar esse evento mais para a nova geração de olho em novos talentos para incentivá-los. Vamos colocar também outras categorias para reunir o surf capixaba e a galera do Brasil todo”.

6. Quais os surfistas mais difíceis que já enfrentou?

“O surf é uma coisa muito louca tem dias que você pode estar naquele dia e ganhar dos melhores do mundo. Eu já enfrentei nomes como Medina, Italo Ferreira, Kelly Slater você vê que esses caras são de um nível absurdo”.Se puder falar um pouco pra galera sobre seus equipamentos? 

“Hoje em dia estou fazendo meu Quiver com o shaper Ricardo Martins e usando muito pranchas 5’10 em ondas de até 2 metros. Venho fazendo essa parceria com ele faz 3 anos e a cada dia vejo meu surf cada vez mais encaixado com esse quiver mágico”.  

7. Qual foi o melhor momento da sua carreira?

“Eu já tive vários momentos incríveis, mas o melhor foi competir a etapa do CT em Saquarema junto com aquela torcida. Outra que vai ficar marcado na minha memória foi uma etapa do Pro Jr. na Austrália que fiz uma final brazuca contra o Peterson Crisanto. Por fim, ser o primeiro campeão brasileiro capixaba ficou marcado na história e sou grato demais por isso”. 

8. Qual seu pico favorito no mundo?

“Meu pico favorito é aqui onde eu moro na Barra do Jucu uma onda tubular e que também favorece os aéreos por ter boas rampas. Eu curto muito surfar de backside pelas manobras que consigo executar. 

Outra onda aqui no Espírito Santo que eu curto é Regência que é uma das melhores ondas do Brasil. Me sinto privilegiado de ter varias ondas boas aqui no litoral de casa”. 

9. Nomes que você acredita que vem forte no QS em busca da elite no ano que vem?

“Acredito que nomes dessa nova geração como Samuel Pupo, Mateus Herdy e o João Chianca devem em breve estar no CT. Além de nomes experientes que já competiram na elite como Wiggoly Dantas, Alejo Muniz e Ian Gouveia devem brigar pelas vagas nesse ano pelo QS”. 

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões