Jordy Smith sagrou-se o grande campeão da etapa do Vans World Cup 2016 e dois brasileiros se garantem na elite em 2017

O domingo amanheceu clássico em Sunset Beach, no Havaí, palco do Vans World Cup,  com ondas de até 3 metros e algumas séries maiores, onde os Tops e postulantes a elite gastaram as bordas, em sua maioria, visando o CT 2017 – permanência um possível entrada.

Jadson Andre foi o melhor entre os brasileiros. Buscando se manter no Tour em 2017, o potiguar lutou como um verdadeiro guerreiro em todos os seus confrontos. Ainda no round 4, se classificou em segundo (10.36), na bateria vencida por Slater (11.57). Em seguida, novamente em segundo, agora atrás do sul-africano Jordy Smith, que já começava a brilhar dentro da água. Já nas semis, foi eliminado juntamente com Kelly Slater, mas, apesar da derrota, Jadson caiu de pé, se garantindo mais um ano entre os Tops da World Surf League.

O GRANDE CAMPEÃO

Jordy Smith realmente brilhou no dia decisivo sempre com altas médias de notas em todas as fases. Na final, o sul-africano conseguiu duas ótimas médias em suas duas primeiras ondas (6.33 e 8.73), o suficiente para bater o lusitano Frederico Morais, que vinha inspirado durante todo o dia.

DESTAQUE

Com uma atuação impecável, Frederico Morais conseguiu garantir seu espaço na elite em 2017. Portugal volta a ter um representante entre os Tops, numa “vaga” ocupada durante anos por Tiago Pires. Ele ainda lidera a corrida pelo título da Tríplice Coroa Havaiana e deve ganhar um possível convite para disputar a etapa de Pipeline.


Classificados para o CT 2017

663x421

 

Sonhos adiados – O baiano Bino Lopes finalizou a temporada em 12° no ranking do Qualifying Series, terminando muito próximo da zona de classificação para o CT. O último surfista baiano que disputou o Circuito Mundial foi Armando Daltro, em 2004.

Os guarujaenses Jesse Mendes e Deivid Silva também por pouco não conseguiram suas vagas entre os Tops, terminando em 14° e 16° – respectivamente.

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões