WSL troca a chefia dos juizes

As constantes reclamações e revolta por espectadores e pelos próprios surfistas (ainda que de forma silenciosa) resultou  numa importante mudança no painel de juízes da WSL para o ano de 2018. O australiano Richie Porta deixa o cargo de chefe dos juízes após oito anos de serviços prestados. Quem assume a função é o também aussie Pritamo Ahrendt, juiz regular do tour desde 1999.

O motivo da mudança não foi explicitado pela WSL. A princípio, os critérios de julgamento seguem sendo os mesmos do ano passado.

Richie Porta continua na WSL. Ainda não está claro qual exatamente será sua função. Segundo a entidade, o ex-head-judge passa a trabalhar junto ao escritório do comissário do tour, Kieren Perrow, em “iniciativas ligadas ao desenvolvimento do julgamento”.

O que esperar?

Pritamo Ahrendt, australiano de Byron Bay, tem 40 anos e é juiz desde os 21. Segundo a WSL, ele teve papel chave na modificação do critério de julgamento para recompensar manobras mais progressivas.

Ele acompanhou algumas mudanças importantes nos critérios de julgamento: duas maiores notas em vez de três, fim do critério “distância percorrida do início ao fim da onda”, inclusão do critério “variedade de repertório”, entre outras.

 

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões