Futuro do Brasil no surf garantido!!!

Nesta última quinta-feira (11) tivemos o término do mundial do Mundial Pro Junior 2017 em Bombo Beach, Kiama (AUS), com o título do havaiano Finn McGill e da taitiana Vahine Fierro. Entretanto, devemos destacar a participação dos brasileiros João Chianca e Tainá Hinckel que também fizeram bonito e só foram barrados pelos campeões nas semifinais, terminando a disputa em terceiro.

Além deles tivemos a participação do talentosos Mateus Herdy e Samuel Pupo que deram show de surf com seus aéreos. Essa nova geração do surf brasileiro que conta com outros nomes que não se classificaram para o Mundial promete continuar o domínio do pais nas competições por muito tempo!!!!

Vamos agora fazer uma análise sobre a participação deles no Mundial Pro Jr:

  • Mateus Herdy

50676503_maxNascido em Florianópolis, um dos mais renomados paraísos do surf no Brasil, Mateus Herdy tem adrenalina e água salgada correndo nas veias. Ele é filho de Alexandre Herdy e sobrinho do Guilherme Herdy, dois grandes nomes do surf que passaram seus talentos para Mateus.

No Mundial, Mateus fez a maior pontuação da primeira fase com direito a show de aéreos mostrava-se um dos favoritos ao titulo. No round 3, as condições do mar não ajudaram muito e devido a inconstância das ondas acabou perdendo por falta de uma segunda boa nota. Fiquem de olho nele em competições do QS e no futuro na elite do surf mundial!!!

  • Samuel Pupo

Vindo de família de surfistas, ele é filho do experiente Wagner Pupo e irmão do ex-integrante do CT, Miguel Pupo, e entre suas qualidades, tem o perfil muito que remete a Gabriel Medina, radical nas ondas e reservado fora do mar.

No evento, Samuel que já vem competindo nas principais etapas do QS foi avançando sem nenhuma dificuldade contando com seu surf agressivo e manobras inovadoras. Quando chegou nas quartas acabou encontrado seu amigo e rival João Chianca e acabou perdendo numa bateria acirrada. O jovem paulista deve ser um dos forte nomes para tentar uma vaga no CT em 2019!!!

  • João Chianca:

Local de Saquarema (RJ), João não se intimida com ondas grandes e poderosas. Irmão do astro do Big Wave Tour Lucas Chumbinho, ele vem como uma das apostas brasileiras nos próximos anos.

Após uma primeira fase apagada no Mundial, ele pegou confiança ao vencer a repescagem e seguiu sua caminhada com um surf de borda e agressivo até as semifinais. Numa bateria disputada só foi parado pelo campeão Finn McGill.

  • Taina Hinckel:

Aos 14 anos, Tainá é reconhecida por suas rasgadas, seu posicionamento, seu estilo e suas linhas. Criada na praia da Guarda do Embaú, em Palhoça (SC), com a inspiração de uma das melhores ondas do país, hoje busca seu espaço entre as melhores surfistas do Brasil e do Mundo. 

No mundial, a jovem surfista foi o grande destaque ao eliminar nada menos que a local e campeã do evento Macy Callaghan nas quartas. No round seguinte, Taina perdeu numa bateria disputada para a nova campeã Vahine Fierro e fez a melhor campanha de uma brasileira na história do Mundial Jr.

Essa nova geração do surf brasileiro que conta com outros nomes que não se classificaram para o Mundial promete continuar o domínio do pais nas competições por muito tempo!!!!

Por João Otávio Vieira

 

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões