Maya Gabeira cruza a Califórnia durante 30 dias de motorhome

A bigrider Maya Gabeira subia as ladeiras do bairro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, vestida no desejo de ser bailarina, rumo à escola de ballet. O surf e ondas grandes ainda não tinham aparecido no radar daquela que tinha bastante respeito pelo mar. Até que uma pequena decisão despretensiosa pode mudar o rumo da vida.

“Quando eu era criança, eu dançava o dia inteiro, eu quebrava os móveis, dava piruetas, dançava Spice Girls e fazia milhões de coreografias. Minha mãe pensava que eu ia me profissionalizar, porque eu só fazia isso o dia inteiro. Meu primeiro contato com o mar foi em Búzios, tentei ficar em pé em uma espuminha em uma prancha que eu nem lembro de quem era. Foi primeira vez que aquela semente (do surfe) começou a crescer dentro de mim, de que eu tinha que aprender aquele esporte”, lembrou ela.

Aos 13 anos, começaram as aulas de surfe. Aos 15, os primeiros campeonatos. Aos 17 anos, Maya embarcou para o Hawaii como surfista profissional e conheceu as ondas gigantes. Há 13 anos, Maya viaja o mundo em busca das maiores ondas para surfar.

“Minha vida não tem plano de sequência de lugar, pessoas, rotina e até daquilo que eu como. É uma vida nômade, mas eu acho que é uma característica de personalidade. Eu tenho uma vida bastante solitária”, revelou.

Durante trinta dias, Maya vai apresentar inúmeras facetas que também não poderia imaginar. A bordo de dois motorhomes com mais onze pessoas da equipe, Maya vai relembrar a vida nômade, mas vai esquecer o que é ser solitária para gravar os episódios da nova série do Esporte Espetacular, California Onboard.

“Eu vou passar um mês completamente diferente, vivendo dentro de um motorhome com doze pessoas que eu não conheço muito, gravando o dia inteiro, que é algo que eu não estou acostumada. Vai ser um grande desafio, confessa”, finalizou.

A série, que começa neste domingo, vai mostrar a vida de brasileiros que deixaram o país de origem em busca de melhores oportunidades no esporte e, em muitos casos, de vida. Como o surfista de ondas grandes Alex Blau, que trocou Recife por Mavericks e hoje vive de consertar pranchas de surfe em sua loja em Half Moon Bay. A série também vai carregar o espírito nômade que permeia a maior parte dos turistas que viajam para o local. A bordo de um motorhome é o jeito mais natural de percorrer as estradas californianas.

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões