Entrevista exclusiva com a embaixadora da Roxy no Brasil Raíssa Reis

A carioca Raissa Reis, de 23 anos, é embaixadora da Roxy Brasil e também poliatleta. Não preocupada em competir, Cissa pratica o surf como um “lifestyle” em busca de boas ondas.

“Por ser bastante hiperativa, eu sempre precisei de um esporte para me dedicar. Antigamente, mais precisamente desde os 8 anos de idade eu era da equipe capixaba de hipismo clássico, da qual fiz parte até meus 19 anos, amava saltar a cavalo, era meu maior sonho, vivia por aquilo, respirava aquilo, e se deixasse até hoje seria assim, mas até certo momento em que não pudemos mais arcar com as despesas de cavalo por conta de eu ter entrado na faculdade e tal eu fiquei sem praticar nenhum esporte, sentia um vazio enorme dentro de mim. Na época meu pai morava em Guarapari-ES (Praia do Morro) em frente ao pico de surf e eu acordava todos os dias para ficar olhando a galera surfar, até que um dia ganhei uma prancha de funboard de presente e comecei a ir para a praia. A partir desse momento minha vida mudou. No início, quando estava começando a surfar sofri um acidente no skateboard e quebrei meu fêmur esquerdo, fraturei a perna e tive que colocar uma haste de titânio da bacia até o joelho, andei de cadeira de rodas meses, muletas, até me readaptar ás minhas novas condições. Quando meu osso já estava consolidado e o médico me deu alta para voltar a aprender a surfar!!! Eu não acreditava ser mais possível, mas tive pessoas que me colocaram lá em cima e acreditaram que eu era capaz. Meu shaper Renato Larica e meus amigos, incluindo o surfista profissional Dell Gama, foram quem mais derram esse apoio. Um dia recebi um convite inesperado para ir morar na Califórnia, onde considero que realmente aprendi a surfar. Fazem apenas 4 anos que surfo, mas procuro evoluir cada vez mais”, disse ela em entrevista ao Tudo pelo Surf.

Cissa também divide o surf com outras paixões como o skate, fotografia e mergulho, sempre conciliando com a faculdade de veterinária. Para manter a disposição, ela conta com os treinos direcionados na academia Moviment e natação no Clube Sírio Libanês. Cissa já participou de competições de surf, o que lhe rendeu surf no pé e disciplina, reconhecido por um time de apoiadores que acreditam em seu potencial, como a Roxy – onde é embaixadora no Brasil, seu shaper Renato Larica SurfBoards, bem como Mayara Estética, RRB Eventos – minha assessoria esportiva, Mundo Livre Tattoo e meu consultor esportivo Jair Gomes Strong.

“Sempre gostei muito de tirar fotos, bem antes de conhecer o surf. Graças a Deus, tenho uma câmera alucinante que meu pai me deu quando eu morava na Califórnia e desde lá tiro fotos alucinantes. Aprendi muito com a fotografia, tenho muita visão pra foto e inclusive foi o que me fez conquistar tudo o que tenho. Então, sempre que posso tiro fotos sim, seja por trabalho ou por hobby”, disse ela.

77d695d8-dc34-4919-a397-ccda13a089ae

Por fim, a jovem disse ainda que surf feminino precisa e merece todo apoio, sejam nas competições ou no freesurf.

“O atual cenário está muito fraco. Nossa maior surfista consagrada Silvana Lima está sem patrocínio para competir e isso é um absurdo! Mas a cada dia que passa o surf feminino vem tomando conta de cada pico e as meninas se mostram cada vez mais unidas. Acho que estamos ganhando força com isso!!!”, finalizou.

Por João Otávio Vieira

Fotos: Marcio Rita

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões